sexta-feira, 27 de abril de 2012

Resenha Crítica do conto " A Igreja do Diabo " - Machado de Assis

Resenha crítica do conto “ A IGREJA DO DIABO ”- Machado de Assis

Certo dia o Diabo teve a grande ideia de fundar uma igreja pois estava cansado de ter tantos súditos e não ter organização, um ritual, enfim estava cansado de não ter regras.O Diabo pensava que ao abrir uma igreja, estaria destruindo de vez todas as outras religiões,enquanto as outras se combatiam e dividiam,a igreja do      Diabo seria única.Decidido isso ele foi aos céus avisar a Deus e desafiá-lo.
Chegando ao infinito azul, o Diabo encontrou Deus e o comunicou sobre a Igreja dizendo que faria todos os humanos negares suas virtudes e desceu a terra para colocar seu plano em prática.
Uma vez na Terra o Diabo não perdeu um minuto, entrou para espalhar uma doutrina nova e extraordinária. Prometeu a seus discípulos e fiéis as delícias da terra, todas as glórias. Confessava que era o Diabo para provar para os seres humanos que ele não era tudo que Deus falava e que também era um pai e podia dar tudo que fosse pedido.A multidão veio mesmo aos seus pés.
Ele clamava que as virtudes aceitas deveriam ser substituídas pelas naturais e legítimas. A soberba, a luxuria, a preguiça foram reabilitadas e assim também a avareza,que declarou não ser mais do que a mãe da economia.A ira e a gula agora eram muito bem vistas.
Quanto a inveja, pregou friamente que era a virtude principal, preciosa, que chegava a suprir todas as outras.
Ele chamava a fraude de braço esquerdo do homem, o direito era a força.
A demonstração mais rigorosa e profunda foi à venalidade, dizia ele que era o exercício de um direito superior a todos os direitos. Se você pode vender a sua casa, o seu boi, porque não pode vender sua opinião?o teu voto, tua fé?Coisas que são mais do que sua, porque são sua própria consciência, isto é, tu mesmo?
E assim o Diabo descia e subia, examinava tudo. Todas as formas de respeito foram condenadas por eles, a única exceção do interesse.
Para arrematar a obra entendeu o Diabo que lhe cumpria cortar por toda a solidariedade humana. Não se devia dar ao próximo nada, a não ser a indiferença e em alguns casos, ódio ou desprezo. A única hipótese que lhe permitia amar ao próximo era quando se tratasse de amar a mulher alheia.
As pessoas foram chegando e a igreja fundara-se, a doutrina propagara-se, não havia ninguém que a não conhecesse, uma língua que não a traduzisse, uma raça que não a amasse.
O Diabo alcançou brados de triunfo.
Muitos anos depois o Diabo notou que muitos dos seus fies, às escondidas praticavam as antigas virtudes, não todas nem integralmente, mas principalmente ligação a dias católicos e esmolas.
A descoberta assombrou o Diabo pois haviam casos em todos os lugares.
Não se deteve um instante, voou de novo ao céu, tremulo de raiva, ansioso para conhecer a causa secreta de tão singular fenômeno.
Deus o ouviu calmamente, não o interrompeu, não o surpreendeu, não triunfou, sequer daquela agonia satânica.
Pôs os olhos nele e disse-lhe:
- Que queres tu?É a eterna contradição humana.

É interessante observar nesse conto a natureza contraditória do ser humano, parece que tudo aquilo que é proibido é o que queremos e se essa mesma coisa se torna permitida, já perde a graça e logo já queremos outro desafio e acabamos sempre insatisfeitos. Os homens, como seres imperfeitos, não conseguem viver com nada que for extremo, ainda mais  com o que a religião diz que seus fiéis devem supostamente obedecer, sendo assim contraditórios a todo instante.
 Nossas atitudes se encaixam perfeitamente nessa “igreja do Diabo” , temos o sério hábito de cometer pecados capitais, trapacear,  fazer adultério e mentir. O texto apresenta o Diabo com características essencialmente humanas, ele quer a todo o instante o poder e a dominação.
Um detalhe muito importante de se perceber nessa obra é que Deus é apresentado assim como nós vemos ELE mesmo, com paciência, convivência com o livre arbítrio e muita sabedoria, pois em nenhum momento ele se opunha nas atitudes do Diabo e das pessoas.
No entanto o que ocorre é que , assim como não somos capazes de seguir todas as virtudes exigidas por Deus, também não seriamos capazes de exercer todos os “ensinamentos” da igreja do Diabo, é a incapacidade do ser humano de seguir um extremo. A todo instante o homem esta entre o ‘bem’ e o ‘mal’ e não consegue aceitar apenas um destes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário